quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Mestrado gera traumas?


Já na reta final do mestrado eu conheci essa comunidade. Durante uma conversa com os meus colegas de mestrado, enquanto falávamos sobre trabalhos a serem entregues e tentativas de suicídio mais eficazes, muito foi dito sobre o assunto:

"No meu primeiro semestre de mestrado, com apresentação atrás de apresentação, eu só cheguei a uma conclusão: eu não quero fazer doutorado".

"É por isso que os créditos são no primeiro ano, porque durante o segundo ano você esquece o que passou e quando tá terminando tudo você se inscreve pro doutorado. Mas daí quando você lembra do que foram os créditos do mestrado, já é tarde demais."

"Dormir? Prá que?"

"Minha primeira apresentação dessa disciplina foi ótima. Eu comecei e em 10 minutos a professora disse: Pode parar, prepara tudo para reapresentar na semana que vem."

"Você tem a impressão que o seu orientador te odeia?"

A experiência de mestrado de cada um vai variar de acordo com o programa, os créditos, o projeto e a relação com o orientador. Aqui vão uns conselhos básicos:

1- Escolha um orientador com o qual você se identifique de alguma forma. Seja pela linha de pesquisa, seja por conhecimento anterior, seja pelo time de futebol. Se identifique. O mais inacessível orientador poderá ser a melhor experiência da sua vida, ou o mais "gente boa" se tornará o seu pior pesadelo. Quando você se identifica é um bom começo para tudo dar certo.

2- "Desenhe" um bom projeto. Um projeto com metodologia coerente, "redonda" e saiba, de antemão todas as análises estatísicas utilizadas. Se reguarde. Estude as análises, veja se são as mais apropriadas. Um bom projeto pode ir por água abaixo se a tal da estatística não responder as perguntas originais.

3- Não dê um passo maior que a perna. Não prometa resultado que não será possível, ou deadline que não será respeitado. Com exceção dos prazos estipulados pelos professores ou orientador, faça tudo no seu tempo.

4- Compareça a todas as reuniões sempre. Não perca a oportunidade santa que lhe foi concedida de provar que você está presente. Ou você vai se arrepender no futuro quando não te chamarem mais.

5- Faça seus créditos com calma, prepare boas apresentações e esqueça as horas de sono. Durante o período de cumprir os créditos e o período de redação da tese você não existe como marido, pai, filho ou namorado. (o verdadeiro para a esposa, mãe, filha ou namorada, com exceção que mulher dá muito mais conta do tranco que o homem mesmo).

6- E, por fim, no dia de apresentar a sua tese, sorria, seja agradável e não deixe jamais transparecer que:

"FINALMENTE ACABOU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!"

No final, borde em todos os jalecos o MSc, mude os carimbos também...VOCÊ MERECE.


Post dedicados aos meus colegas que estão saindo, os do meio do caminho e os que entraram agora.

**** Nota: A autora desse texto está escrevendo sua tese de mestrado ****

Boa semana a todos.

Não se esqueça de seguir o blog, por Seguidores ou FEED.

• Diário de uma Veterinária


Bookmark and Share

6 comentários:

Anônimo disse...

Uma das frases é minha! É a realidade do mestrado!

Luciana disse...

Eu sei quem falou isso.... rsrsrsrsr
Frase típica dele..... rsrsrsr

Anônimo disse...

OI, estudamos juntos na E.C. 113 Norte, Daniel, 6a serie, lembra?
tá em Ilhéus? Massa... eu sou Agronomo, formei na UnB...
email: dan.rodrigues@pop.com.br
Abraços

* disse...

adoro seu blog! sucesso na carreira pra vc (:

Nancy disse...

kkkkkkkkkkkkk só rindo viu?!
e vc ainda quer que eu faça mestrado?! rsrsrs

Heneile disse...
Este comentário foi removido pelo autor.