quarta-feira, 4 de março de 2009

Posse Responsável


Cada dia mais o cão e o gato vem conquistando um espaço na vida do ser humano, não somente como um vigia mas como animal de companhia, amigo, filho e até razão de viver. O sucesso do tratamento de pessoas com depressão com a adoção de um pet é fantástico. Porém, infelizmente, para algumas pessoas a responsabilidade acaba logo, quando o animal vai ficando velho, começa a dar trabalho e despesa, o dono tem aí a chance de retribuir todo afeto que o cão ou gato dispensou a vida toda e não o faz. Leva o bicho no veterinário e fala: Dra, quero acabar com o sofrimento dele. Podemos sacrificar? ele já tá velho, e quase surdo, ficando cego!
Alguns simplesmente abandonam. Às vezes nem precisa estar velho, só ter deixado de ser filhote já é o suficiente.
Para essas pessoas deveria ter cadeia... mas muitos deles fazem isso com os próprios pais, quanto mais com um animal
Portanto, eu venho trabalhando essa idéia em meus amigos, clientes, colegas e com vocês, meus leitores. Adote um animal de rua, visite o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da sua cidade e escolha um companheiro para te amar até o fim da vida, e dê uma chance.
É com muito orgulho que eu venho contar a história do Renato. Ele é um amigo que conheci na internet, durante o jogo, claro. Certa vez ele veio me perguntar o que eu achava de pagar 2000 reais em um gato da raça tal. Eu disse: Bom, acho uma coisa legal, se é o que você quer, conheça o criador, ouça atentamente às recomendações e garanto que você vai ser muito feliz, criar gato é bom demais. Mas, você já pensou em adotar um gatinho de rua? desses que são pegos por entidades ou pelo CCZ, tem muitos filhotes por lá.
Bom, algum tempo depois ele adotou o "Gato" que é uma gata filhote, e se amarrou tanto nessa aventura que há cerca de 3 semanas adotou outro... e agora só fala nesses gatos, faz filme e tudo mais...
Gato 1:

Gato 2:

Não sou contra a venda de animais, eu mesma já vendi vários de ninhadas aqui de casa. É um negócio como outro qualquer e quando bem administrado só gera bons frutos, movimenta o mercado pet, as exposições, as feiras, todo esse mundo que envolve a criação de cães e gatos de raça para a venda. Mas sou contra o cruzamento indiscriminado, a falsa idéia de "meu amiguinho tem que cruzar pelo menos uma vez", "castrar vai deixá-lo abestalhado". Na minha opinião todos os donos de cães e gatos deveriam ter licença para isso, pouparia a vida de muitos animais que são abandonados ou que vivem em lares que negligenciam o que eles mais precisam.

Não se esqueça de seguir o blog, por Seguidores ou FEED.

• Diário de uma Veterinária


Bookmark and Share

2 comentários:

jhsdkahdik disse...

O primeiro gatinho nós pegamos na UIPA.

Já o segundo a gente achou num petshop onde fomos comprar ração (fica aqui no campo belo, na rua demóstenes) as pressas uma vez. A veterinária de lá tinha achado o gatinho abandonado numa viagem que ela fez e pegou para deixar lá para adoção, daí a gente viu e quis levar também. Essa veterinária até deu pra ele domir.

Ahh! *os dois* são fêmeas. :P

Rosa disse...

Oi, gostei muito do seu blog, virei seguidora! Só discordo no quesito venda de cães, porque, na minha opinião, aumenta o número de animais nas ruas, já que muitos terminam abandonados. Além disso, a proibição dessa prática, a longo prazo, ajudaria a mudar a mentalidade das pessoas que vêm cães e gatos como brinquedos que podem jogar fora, já que "vender e comprar" relaciona os bichinhos a coisas e não a seres vivos.
Talvez proibir a venda ajudasse a diminuir o abandono e o sofrimento dos que estão nas ruas. Isso sem falar nas "fábricas de filhotes", nas cruzas mal feitas, etc.
Espero que entenda, não é uma crítica, nem tem por que ser, é só mais uma opinião.
abraço, Rosa