segunda-feira, 29 de março de 2010

Veterinária x Tatuagem

Hoje eu recebi mais um e-mail sobre tatuagem, e a dúvida foi a mesma, se poderia seguir carreira veterinária tendo tatuagem.
A veterinária é uma área com um leque imenso de opções de trabalho, que certamente eu não tenho experiência em todas, mas, posso passar meu ponto de vista nesse assunto.
Essa pergunta foi respondida no Fromspring e parte dela foi usada na composição desse post.

ENJOY

Alice, bom dia Meu nome é fernanda, e postei um comentário no seu blog recentemente (no seu post da tattoo do tigre) e eu queria saber se uma pessoa tatuada consegue se tornar veterinária. by Ihavechoices

A tatuagem hoje em dia é muito mais comum do que já foi um dia. O preconceito ainda existe, eu fiz as minhas já depois de formada e em locais onde eu posso esconder se quiser, mas foi OPÇÃO minha. Vai depender muito da área que você vai trabalhar.
Por exemplo: eu tenho a minha clínica e a tatuagem das costas eventualmente aparece, paciência. Algumas pessoas até comentam por ser um gato. Já no frigorífico que eu trabalho as tatuagens não aparecem mesmo por causa da roupa, porém o dono do frigorífico é preconceituoso, nesse sentido. Ele até sabe que eu tenho mas não sabe o que é e nem aonde, também não levanto essa questão.


Se você for trabalhar de residente ou estágio em algum lugar público, um hospital em uma faculdade por exemplo, é possível que exista o preconceito, mas, eventualmente você já conhece as pessoas há um tempo e isso acaba ficando para trás.
 Vai muito depender do local onde você vai tatuar, o que você vai tatuar.
Se você quiser seguir carreira nas Forças Armadas, deve se informar bem antes de fazer. Para o exército, pela Escola de Administração do Exército (EsAEx), o edital prevê que:


Art. 111. Serão contra-indicados à matrícula os candidatos que possuírem em seu corpo uma ou mais tatuagens, que: I - afete(m) a honra pessoal, o pundonor militar ou o decoro exigido aos integrantes das Forças Armadas (conforme art. 28 do Estatuto dos Militares), tais como, por exemplo, as que apresentem símbolos e/ou inscrições alusivos a: ideologias terroristas ou extremistas, contrárias às instituições democráticas ou que preguem a violência e a criminalidade; discriminação ou preconceitos de raça, credo, sexo ou origem; idéias ou atos libidinosos; idéias ou atos ofensivos às Forças Armadas etc.; II - caso esteja(m) aplicada(s) em extensa área do corpo, possa(m) vir a prejudicar os padrões de apresentação pessoal e de uso de uniformes exigidos nas instituições militares; ou III -estejam localizadas no rosto. Art. 112. Em quaisquer dos casos citados no art. 111, deste Edital, a JISE ou JISR deverá encaminhar relatório consubstanciado ao Comando da EsAEx, com fotos anexadas da(s) tatuagem(ns) constatada(s), para apreciação e decisão final.

Não se esqueça de seguir o blog, por Seguidores ou FEED.
• Diário de uma Veterinária

Bookmark and Share

4 comentários:

Dudinha Nariz de Bolinha disse...

Nossa em pleno seculo 21 e ainda existe esse preconceito...

lambeijos tia....

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Paty ǤŘéŁ Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Oii
eu adoro tatuagem e vou fazer uma
Patinha... homenagem aos animais e lógico o blog também rsrs
Bjus

Leandro Lobato disse...

e se vc for ler o estatuto, não diz nada explícito a tatuagem, somente a conduta sócio-moral do militar.

Alice no País das Maravilhas disse...

Bom, posso compartilhar minha experiência e o meu ponto de vista aqui. Quando decidi fazer a primeira tatuagem eu considerei algumas coisas: que fosse algo com o que eu me identificasse, que fosse em um lugar que eu não visse sempre para não enjoar (eu enjôo fácil das coisas) e que fosse feita com o melhor que eu achasse, pra isso eu juntei uma grana e fiz. A segunda eu decidi o tigre antes mas o tamanho eu decidi na hora. O local, a panturrilha, eu decidi antes também, imaginando que não doeria nada. Doeu as 4 horas que durou para fazer.
Não me arrependo, não acho que vá me arrepender. Aliás, curto até minhas cicatrizes e estrias. ehehe