segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Teste de Paternidade


Cortando rabos de poodles eu conheci uma cliente que vou chamar de Patty. Ela me levou dois poodles de três dias de vida para o procedimento. Mas Deus me deu uma língua muito maior do que qualquer pessoa pode administrar e eu comecei a perguntar sobre os cachorros, o pai, a mãe... tem coisas que não precisamos saber. Patty me confessou que o pai dos filhotes era do vizinho, e como ele não tinha colaborado com nada na gestação ela falaria para o rapaz que os bebês haviam morrido.
AHHHHHHHHhh, sabe aquela informação, "se eu te contar, terei que te matar!!!" eu não precisava saber disso, ainda me traria problemas.
E trouxe!!
Dois meses depois um desses filhotes voltou para vacinação, tinha ficado linda a poodle, preta, parecida com um machinho da rua. Eu havia esquecido todo precedente paternal da rebenta. E perguntei à proprietária, então não era mais a Patty, mas a tia dela "quem é o papai? é o Lucky da rua do lado? eu acho que é, parece tanto?"
A tia então conta para Patty que eu investigava a paternidade dos filhotes, Patty então vai tirar satisfação.
Quando ela chega ao consultório, eu achando que era para buscar sua cadelinha na tosa, aviso ao funcionário "Chegou a proprietária de..... de...." esqueci o nome da cachorra. Então a Patty fala vários desaforos para mim, me xinga, e ainda diz que eu falei "chegou a problemática"... ahahahahaha
Lembra que eu falei sobre minha passividade... pois é, terminei falando "Patty, me desculpe qualquer coisa, não foi minha intenção"...
Ainda bem que hoje a Santa Burrinha da Passividade não me segue mais,... mas tanta coisa aconteceu nesse tempo, ainda há muito para contar!

Lições que aprendemos até hoje: não diga que o cão não é poodle, não pergunte sobre os pais do cão, não vá de taxi a Salvador!!

Não se esqueça de seguir o blog, por Seguidores ou FEED.

• Diário de uma Veterinária


Bookmark and Share

4 comentários:

Zenrique Steckelberg disse...

Ei pad! Seus posts são ótimos! Uma pequena sugestão se me permite e se tiver tempo: incluir uma foto junto com a história pra ilustrar... :)

Abraços!

Paula disse...

Muito bom!!!
Tô adorando e vou acompanhar diariamente este diário que reproduz com muita verdade nosso dia-a-dia....
Eu também ando aprendendo muito sobre ouvir c 2 ouvidos e falar com apenas 1 boca! hauahauahauahua
Sucesso!
Bjos

Dilce disse...

Estou esperando pra ver as peripécies paulistas... heheheh

Carina disse...

Sei bem oque é falar demais e as consequências disso. Diário muito bem humorado. Amei! Abraço.